terça-feira, 6 de novembro de 2012

Assadura

Eu me preparei bastante para a cirurgia de rebaixamento do João. Li tudo o que encontrei pela internet e fiz todas as perguntas que passavam pela minha cabeça para o cirurgião.
Apesar da cirurgia ter sido feita em 3 etapas, com a última sendo o fechamento da ileostomia, as dificuldades esperadas eram as mesmas de quem faz a cirurgia numa só uma vez, e uma das maiores preocupações era a assadura. Já que o resto é basicamente o corpo e o intestino se adaptando ao longo do tempo.
Comprei todos os cremes, pomadas e medicamentos para assaduras que eu julguei serem os com maior possibilidade de sucesso.
E, assim como era previsto, uma pequena assadura apareceu no bumbum do João aproximadamente 30 horas depois dele ter feito o primeiro cocô.
Até então, eu estava passando o Cavilon spray e por cima Desitin.
Quando vi o primeiro vermelhinho aparecer, tentei usar o iLEX. Mas ele não é um produto fácil de usar, e saiu todo na fralda. Depois de duas trocas eu já havia desistido e comecei a usar o Stomahesive que a enfermeira me deu.
Neste momento eu já havia parado de usar lencinhos umedecidos e lavava o bumbum do João com água morna e sabonete líquido todas as vezes que trocava a fralda - o que acontecia de 10 à 12 vezes por dia.
Também comecei a deixar ele sem fralda por pequenos períodos de tempo, para tomar um pouco de sol no bumbum.
O Stomahesive não resolveu a assadura do João e no final do dia o bumbum tinha piorado.
No dia seguinte estava vermelho carne viva, mas não tinha feridas.
O João estava visivelmente incomodado. E nos dias que seguiram e entrei em total desespero e tentei de tudo um pouco:
1) Stomahesive com hipoglós, stomahesive com Desitin, stomahesive com Cavilon creme
2) Cavilon creme com hipoglós por cima
2) Hipoglós, hipoglós com talco, hipoglós com maizena (maizena por baixo, por cima ou por cima e por baixo)
3) Cetrilan, cetrilan com hipoglós por cima
No quinto dia o João continuava com a assadura. Ela não estava piorando, mas não estava melhorando.
Li de novo tudo o que consegui achar sobre assadura. E resolvi tentar o iLEX novamente, com uma nova técnica de aplicação, e me comprometi a tentar por no mínimo 2 dias.
Em um dia o bumbum já estava visivelmente melhor. E o João parou de reclamar quando eu lavava o bumbum dele.
Uma semana depois só haviam alguns pontinhos vermelhos, que acredito serem causados por fungos.
Esses pontinhos vermelhos foram mais resistentes. Tentei o Dermodex tratamento, mas não resolveu.
Tentei o Cetrilan, e apenas após mais de uma semana é que vencemos os pontinhos vermelhos.
Depois disso o João nunca mais teve uma assadura séria, no máximo aparecia um vermelhinho e com o iLEX eu controlava até sumir completamente. Esses vermelhinhos não chegavam a causar nenhum incômodo pois eram tratados logo, então considero que assadura feia mesmo o João só teve uma vez, por um período de 1 semana.
Quando a assadura sarou, passei a usar o Cetrilan com Desitin ou Triple Paste por cima durante o dia e o iLEX à noite, para que eu não precisasse acordar o João para trocá-lo se ele fizesse cocô.
O bumbum do João passou por um período de adaptação. Digo isso pois ele amanhecia com o bumbum sem nenhum vermelhinho e normalmente no final do dia o bumbum já estava ficando vermelho. Mas não chegava a ser uma assadura, apenas uma pele que já estava ficando um pouco irritada. À noite usávamos o iLEX e pela manhã o bumbum já estava recuperado.
Foi assim por uns 2 meses. Por isso acredito que isso tenha sido a pele dele se adaptando à nova realidade (como se estivesse calejando).
O número de evacuações também foi gradualmente diminuindo, e os cuidados foram ficando mais fáceis.
Para saber mais sobre os produtos que uso atualmente visite a página Assaduras.

5 comentários:

  1. Boa Tarde Claudia!

    Sou mãe de um principe lindo de 18 meses,que nasceu com Hirschprung.Ao ler o seu blog foram muitos os testemunhos com que me identifiquei os mesmos medos,as mesmas duvidas...
    Tivemos o diagnóstico tinha ele acabado de fazer 1 mesinho e da pior maneira pois estava em risco de vida com uma entrocolite,começou aí o tormento de cirurgias ao todo foram 5,sendo que a ultima foi em Março o encerramento da ileostomia.
    Hoje é um bebé perfeitamente normal,super alegre e a alegria da nossa vida,continua e continuará sempre a ser seguido nas consultas de cirurgia.
    O medo de que um dia a doença se volte a manifestar mantem-se mas há que ter esperança que tal não aconteça..
    Desejo o melhor para si e para o seu menino e muita força para todas aquelas mães que possam estar a passar por o que já passamos ACREDITEM SEMPRE NOS VOSSOS FILHOS,ELES SÃO MAIS FORTES DO QUE AQUILO QUE IMAGINAMOS!Muita Força e Coragem!

    ResponderExcluir
  2. quando a bolsa descola e fica assado ao redor da bolsa o vc fazia para bolsa ficar colada pq o meu bebe usa a bolsa e nao quer ficar colada e ta assando e ja nao sei oq fazer?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Sirlene!
      Eu usava diversos produtos para proteger a pele: a pasta adapt ao redor do furinho na placa para aderir melhor, cavilon spray em toda a área que ficava coberta pela placa, e quando a pele ficou assada tive bons resultados com a pasta de Karaya. Vc pode ver mais detalhes sobre os produtos que eu usava nesta página: http://doenca-de-hirschsprung.blogspot.com.br/p/cuidados-com-ostomia.html

      Excluir
  3. QDO ILOSTOMIA AT ABERTA E DA ASSADURA ,, QUAL POMADA E BOM PASSAR OU EXISTE OUTRO METODO PR NAO ASSAR?

    ResponderExcluir
  4. Olá.meu esposo passo a por cirurgia do intestino, vai pra casa com a bolsa, e estou preocupadíssima como proceder. Vi só falando de assadura. Meu Deus.

    ResponderExcluir